"É preciso que todos os homens permaneçam seres humanos durante todo o tempo em que estiverem vivos." Simone de Beauvoir

4 de jun de 2015

Exercícios físicos na osteoartrose

A osteoartrose é uma doença articular crônico-degenerativa que se evidencia pelo desgaste da cartilagem articular. Clinicamente, a osteoartrose caracteriza-se por dor, rigidez matinal, crepitação óssea, atrofia muscular e quanto aos aspectos radiológicos é observado estreitamento do espaço intra-articular, formação de osteófitos, esclerose do osso subcondral e formações císticas.
O período mais comum de início do desenvolvimento da afecção é entre 50 e 60 anos. Estima-se que entre a população acima de 65 anos, aproximadamente 12% tendem a ter osteoartrose sintomática, que é caracterizada principalmente por relato doloroso principalmente em períodos matinais em uma ou mais articulações do corpo. A incidência da osteoartrose sintomática aumenta com a idade e com o peso corporal. As articulações do joelho, as interfalângicas distais, carpometacárpicas e as articulações facetárias são as mais afetadas.
Atualmente, os exercícios físicos vêm sendo utilizados tanto no tratamento quanto na prevenção de diversas patologias crônico-degenerativas, entre elas a osteoartrose. Terapia física local, reabilitação, exercícios, redução dos fatores mecânicos sobre a articulação e ainda terapias alternativas podem proporcionar à pessoa acometida melhorias no quadro álgico e manutenção da função articular, o que reflete principalmente no ganho de qualidade de vida dessas pessoas. 
A fisioterapia também está entre uma das formas de terapia física de tratamento para a osteoartrose e, quando bem indicada, oferece excelentes respostas. 
 As principais situações que indicam o emprego de exercícios físicos no tratamento da osteoartrose são: 
  • dor e rigidez articular;
  • perda da mobilidade articular sem destruição importante da articulação;
  • desalinhamento articular ou uso anormal da articulação;
  • sintomas de fraqueza muscular;
  • fadiga e resistência cardiovascular reduzida; 
  • alterações da marcha e do equilíbrio. 
Exercícios físicos regulares reduzem os marcadores inflamatórios no organismo tanto em adultos jovens quanto em idosos. Além disso, pacientes sedentários apresentam níveis mais elevados de inflamação. Para que se tenha o máximo efeito anti-inflamatório, atividades aeróbicas e de resistência são fundamentais. Como os exercícios causam uma redução sistêmica na inflamação, supõe-se que a inflamação dentro da articulação também diminua. Apesar de isto ser  "provavelmente" verdadeiro, ainda não existe comprovação científica.
Então, quais seriam as outras explicações para a melhora nos sintomas de artrose em pacientes que realizam atividades físicas? 
Além da suposta redução na atividade inflamatória da articulação com artrose, exercícios regulares adequados também reduzem o estresse mecânico ao fortalecer a musculatura e estimular a produção do líquido sinovial, o qual age como um "lubrificante" e nutre a cartilagem articular. Também, a sensibilidade a estímulos dolorosos diminui durante e após atividades físicas.
Conhecer a patologia e seu tratamento a partir dos exercícios físicos é indispensável para que o profissional de saúde aplique e elabore uma melhor conduta, com o intuito de proporcionar à pessoa acometida uma melhoria, principalmente no que se refere ao quadro sintomatológico e, consequentemente, proporcionar melhorias na sua qualidade de vida.


* Rezende UM, Hernandez AJ, Camanho GL, Amatuzi MM. Cartilagem articular e osteoartrose. Acta Ortop Bras. 2000.
* Coimbra IB, Pastor EH, Greve JMDA, Puccinelli MLC, Fuller R, Cavalcanti FS, et al. Consenso Brasileiro para o tratamento de Osteoartrite (Osteoartrose). Rev Bras Reumatol. 2002.
* Rejaili WA, Chueire AG, Cordeiro JA, Petean FC, Filho GC. Avaliação do uso do Hylano GF-20 no pós-operatório de artroscopia de joelho por artrose. Acta Ortop Bras. 2005.
* Camanho GL. Tratamento da osteoartrose do joelho. Rev Bras Ortop. 2001.
* Duarte VS, Santos ML, Rodrigues KA, Ramires JB, Arêas GPT, Borges GF. Exercícios físicos e osteoartrose: uma revisão sistemática. Fisioter Mov. 2013.