"É preciso que todos os homens permaneçam seres humanos durante todo o tempo em que estiverem vivos." Simone de Beauvoir

4 de ago de 2014

Exercícios físicos X Osteoporose

Sabe-se que a melhor forma de se evitar as complicações resultantes da osteoporose é o diagnóstico precoce. Estudos mostram que quanto mais cedo essa perda for identificada e tratada, melhores serão os resultados em longo prazo, em termos de parada do processo de perda óssea.
Como as principais morbidades após as fraturas osteoporóticas são as dores e os comprometimentos funcionais , é de se prever que o papel da fisioterapia no tratamento dos pacientes com osteoporose seja significativo.
Realizada uma revisão de literatura, foi encontrado em muitos estudos que o exercício físico é o recurso mais importante no ganho e manutenção da massa óssea. De acordo com esses estudos, entre os benefícios do exercício físico para a prevenção e ou como parte do tratamento da osteoporose, destacam-se:
  • aumento da densidade óssea;
  • hipertrofia das trabéculas;
  • aumento da atividade dos osteoblastos;
  • aumento da densidade do colágeno;
  • incremento de incorporação do cálcio no osso;
  • melhora da agilidade;
  • aumento da estabilidade postural;
  • melhora da flexibilidade e do equilíbrio.
A implantação de um programa de exercícios e de condicionamento para aumentar a força muscular, a resistência, e o equilíbrio são benéficos na maioria dos estágios da doença, diminuindo o risco de quedas e ajudando na manutenção da mobilidade, da função e no alívio da dor. O tratamento das vítimas de fraturas vertebrais pode incluir o repouso relativo no leito durante cerca de uma semana, aplicação de gelo no local por 15 minutos várias vezes ao dia e a utilização da eletroterapia como a estimulação elétrica transcutânea (TENS) e a radiação por laser pode trazer rápidos resultados no alívio da dor óssea. Em geral, essas intervenções são bastante eficazes no alívio da dorsalgia grave ou aguda. À medida que a dor melhora, o paciente pode iniciar uma prática de exercícios físicos específicos e ajustados. O programa deve incluir exercícios de alongamentos e fortalecimento muscular generalizado que auxiliarão na coordenação e devem ajudar na prevenção de quedas. Um programa em longo prazo de atividades físicas também pode incluir exercícios aeróbicos como caminhada e hidroginástica.
Após uma pesquisa realizada numa casa específica para prevenção de fraturas osteoporóticas, o pilates pode ser indicado por promover: 
  • aumento da força muscular;
  • ganho de flexibilidade;
  • melhora da coordenação motora, do equilíbrio e da dor.
Dentro das medidas fisioterápicas, é recomendado um programa de prevenção ao fumo e ao álcool, a ingestão de uma dieta rica em cálcio e vitamina D. Também é importante a avaliação periódica das condições ósseas pela densitometria óssea, bem como o acompanhamento do tratamento realizado.


Leia mais:

Referências:
- Dardin, L.P.; Prato, S.C.F. Atuação da fisioterapia nas dores ósseas em idosos. Força Tarefa na Dor Óssea em Idosos. Grupo Editorial Moreira Jr. Editor: Fânia C. Santos. 2012.
- Fabrício, S.C.C.; et al. Causas e consequências de quedas de idosos atendidos em hospital público. Revista Saúde Pública, São Paulo. 2004.
- Buksman, S.; Pereira, S.R.M.; et al. Quedas em idosos. Projetos diretrizes. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/082.pdf. 2001.
- Greisberg, J.L.M. et al. Foot and leg problems are important determinants of functional status en community dwelling older people. Disability & Rehabilitation. 2005.
-Manfio, E.F. Um estudo de parâmetros antropométricos do pé. Tese (Doutorado em Ciências do Movimento Humano). Universidade de Santa Maria. 2001.
-Tinetti, M.E.; Speeciley, M.; et al. Risk factors for falls among elderly persons living in the community. The New England Journal of Medicine. 1988.
- Chaiwanichsiri, D.; et al. Foot disorders and falls in older persons. Gerontology. 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário